De Repente 40 Estúdio Fotográfico Daiane Raupp

Val e seus Maravilhosos 40 anos

Para os meus 40 anos desejo que eu me lembre todos os dias de que o tempo passa. E com isso em mente, eu me lembre de ser feliz agora.

Sei também  que não há tempo a perder. Porque se antes a gente achava que o tempo nunca ia passar, hoje, com 40, a gente sabe que o tempo passa. A vida é agora. Ser feliz é agora, então é preciso se libertar de todas aquelas algemas, de todas aquelas certezas certíssimas, das pequenices, das hipocrisias, de todos os sentimentos que podem colocar a gente para baixo e dizer para si mesmo: "Olha, quer ser feliz? Então é agora, com tudo o que você tem e o que você não tem."

Não há mais tempo para gastar com quem não gosta da gente, para pensamento negativo, para se importar com a opinião alheia, para julgar a vida alheia, não há mais tempo para ter pudor com os nossos sentimentos. Com 20 anos é difícil fazer isso. Falta perspectiva e a gente fica ali agarradinho a um monte de coisas sem importância. Mas com 40, a gente pensa a hora è agora.

Para os meus 40 anos desejo que eu evolua mais ainda como pessoa, que eu deixe a mala do besteirol cada vez mais de lado, que a idade não me intimide, que eu não tenha medo da velhice, que eu me cuide física e espiritualmente e me conecte cada vez mais com o que é lindo e essencial na vida, que a gratidão de estar viva e de ter tudo o que eu tenho inunde meu coração e eu seja feliz com 40, 50 ou 90.